O que eu era antes não me era bom. Mas era desse não-bom que eu havia organizado o melhor: a esperança. De meu próprio mal eu havia criado um bem futuro. O medo agora é que meu novo modo não faça sentido? Mas por que não me deixo guiar pelo que for acontecendo? Terei que correr o sagrado risco do acaso. E substituirei o destino pela probabilidade.

Clarice Lispector   (via acrescentada)

(Fonte: classificar)



Você dormiu com o celular embaixo do travesseiro. Porque até uma ligação dele bêbado, de madrugada, te querendo como última opção, pode ser melhor que esse silêncio.

Tati Bernardi.    (via auroriar)


Tenho medo de terminar sozinha. Tenho medo de ser sempre amiga, irmã e confidente, mas nunca o ‘tudo’ de alguém.

Tati Bernardi.   (via auroriar)


Eu o encontrei, depois de alguns minutos, coloquei minha cabeça em seu ombro. Sabia que não devia fazer aquilo, nem escrever sobre. Porém, fiz. Então, junto com meu primeiro amor veio a minha história mais sincera.

October, 1994.  (via autorias)

(Fonte: florejaram)



Se o fim é algo inevitável, a memória é uma forma de eternidade.

Inquietos (via autorias)

(Fonte: desvaneceram)



Eu prometi a mim mesma que iria tomar uma dose de vodka a cada vez que eu pensasse nele, pra tentar esquecer. E veja só, minhas amigas estão me chamando de alcoólatra.

Bianca Menezes.  (via autorias)

(Fonte: finais)



Com um nó na garganta, eu apagava aquele número da minha agenda telefônica, rasgava as fotos que haviam sido penduradas naquele maldito mural a semanas atrás, pensando que seria eterno enquanto durasse, e no alto pico da ingenuidade, que fosse durar para sempre. Idiota. Esse era o adjetivo mais apropriado pro que eu estava tentando fazer, querendo tirar da minha frente, o que já estava guardado dentro de mim.

Bianca Menezes. (via autorias)

(Fonte: finais)



Nunca confessei abertamente o meu amor, mas, se é verdade que os olhos falam, até um idiota teria percebido que eu estava perdidamente apaixonado.

O Morro dos Ventos Uivantes. (via autorias)

(Fonte: classificar)



Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria acesso ao sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora… Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável: Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída.

Gandhi  (via autorias)

(Fonte: segredou)



É tipo uma angústia , uma coisa que você sente, mais não sabe como colocar isso pra fora de si. É estranho, complexo e sem sentido. Então, o que fazer? Chorar? Sumir? Fingir tudo? Eu realmente não sei.

O grito da alma, Requiz.  (via autorias)



      
{               }
Já me acostumei com a tua voz, com teu rosto e teu olhar. Me partiram em dois, e procuro agora o que é minha metade. Quando não estás aqui, sinto falta de mim mesmo. E sinto falta do meu corpo junto ao teu. Meu coração é tão tosco e tão pobre, não sabe ainda os caminhos do mundo. Quando não estás aqui, tenho medo de mim mesmo, e sinto falta do teu corpo junto ao meu. Vem depressa pra mim, que eu não sei esperar, já fizemos promessas demais. E já me acostumei com a tua voz, quando estou contigo estou em paz. Quando não estás aqui, meu espírito se perde, voa longe.
Se a felicidade tivesse cheiro, seria igualzinho ao teu.
“ Eu queria guardar todos os seus sorrisos no bolso, para a cada dia alegrar a minha vida quando você não estiver por perto.
theme por...
in--compreendida, com alguns detalhes de e-n-s-e-j-os. Don't remove this.